Assembleia aprova projeto de Adelmo Soares em coautoria de Duarte Júnior que obriga comércio a não utilizar canudos de plástico

Com o objetivo de ajudar na preservação do meio ambiente do Estado, a Assembleia Legislativa aprovou, na sessão desta terça-feira (2), projeto de lei de autoria do deputado estadual Adelmo Soares (PCdoB) em  coautoria do deputado Duarte Júnior(PCdoB) que proíbe a utilização de canudos de plástico nos estabelecimentos comerciais do Estado. O parlamentar agradeceu aos colegas pela aprovação e explicou que a lei terá a finalidade de ajudar a retirar do meio ambiente os canudos de plásticos que levarem 400 anos para se decompor.

De acordo com o deputado, os canudos de plásticos fazem um prejuízo grande ao meio ambiente, por conta do grande tempo que levam para se decompor.  “Estamos apresentando a proposta de canudo biodegradável, de papel, que rapidamente faz a sua decomposição no meio ambiente sem prejudicá-lo”, explicou.

Antes da votação, Adelmo Soares deu aos colegas de Plenário o modelo de canudos biodegradáveis, de papel, para que fizessem uma comparação e tivessem melhor entendimento dos benefícios que a medida trará para o meio ambiente do Maranhão.

O deputado fez um apelo aos colegas para se lembrarem de utilizar o canudo descartável quando forem tomar água de coco na praia, refrigerante ou caipirinha.

“Acho que todos já viram aquele vídeo onde tem uma tartaruga que foi introduzido na narina dela um canudo e ela sofreu bastante com aquela retirada daquele canudo. Isso é mais grave ainda, porque o canudo é muito leve, então as pessoas não vão atrás de canudo para reciclagem, porque imagina você juntar 10 quilos de canudo, a quantidade de canudo que vai ser! Então, por isso ele fica no meio ambiente, é jogado pelo vento, poucas pessoas vão atrás do canudo, e é por isso que nós estamos propondo para a gente fazer essa mudança radical na utilização dos canudos no nosso querido Estado do Maranhão”, revelou.

Adelmo Soares havia solicitado que o projeto fosse votado em regime de urgência, numa sessão extraordinária feita após a ordinária.

O projeto de lei nº 045/2019 já tinha parecer favorável da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ); e recebeu também sinal verde da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, quando foi convocada em Plenário sob a presidência do deputado Zé Gentil (PRB) e relatado pelo deputado Prof. Marco Aurélio (PCdoB).
Na CCJ, o projeto foi relatado pelo deputado Wendel Lages (PNN). Todos elogiaram a iniciativa e destacaram a importância da aprovação do projeto na preservação da natureza.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*